Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

Depois dos medos e das dúvidas, chegam as certezas!

Depois dos medos e das dúvidas, chegam as certezas! 
Depois de tanto duvidar, de sentir aquele frio na barriga e de achar que te poderia perder, irremediavelmente, acho que me sosseguei e a ti também. Os começos são sempre atribulados, sobretudo para quem não tem toque, nem olhares e para quem não percebe como chegou,

E porque foi que chegámos?

Já sei que vais dizer que me procuraste, mas quem sabe eu também não queria ser encontrada... Não duvido de mim, não tenho receio de ti, nem do que dizes sentir. Não estranho que me tenhas mantido em ti e que reencontrares-me fosse o óbvio, não importa por quantos anos e olha que foram muitos.
Algumascoisas terão que ser vividas, mesmo que pela ordem inversa, ou pela que achamos ser a menos certa. Algumaspessoas farão parte de nós e voltarão, uma e outra vez, mesmo que as tenhamos perdido. Algumas verdades apenas serão descobertas muito mais tarde, mas quando acontecerem, tudo se encaixará como se nunca tivesse sido de outra forma.
Depois dos medo…
Mensagens recentes

Já ouviste a vida falar contigo hoje?

A vida consegue ser estranhamente natural e simples, talvez por isso nos caiba a nós complicá-la, deixando, por momentos, de estar atentos aos sinais e aos momentos que se instalam depois de os termos pedido. Por vezes corremos mais do que caminhamos e sorrimos quando deveríamos estar a rir, porque a vida vai indo e vindo, cedendo e recusando uns quantos sonhos, mas apenas para que outros possam caber.
Hoje, num dia tão simples e tranquilo, a contrastar com a habitual agitação em que vivo, percebi que estava a receber a mensagem que me esquecera de ouvir. Afinal até já conquistei o que visualizei. Afinal estou com ambos os pés no lugar certo e foi-me dado o que me permiti desejar. Afinal até faço sentido, sobretudo para mim mesma e consigo saber o que me enche e preenche. Afinal não posso mesmo reclamar, nem devo, porque o que me chegou foi imaginado.
O meu trabalho nunca estará totalmente feito. Os meus minutos de solidão desejada nunca se transformarão, totalmente, nas horas que me…

Lados que nos fogem!

Partes de todas as partes que nos compõem, silhuetas que nem sempre reconhecemos, mas que estão no lugar de onde fugimos. Cada um dos nossos lados terá que servir para que o todo se complete, mesmo que gostemos mais de uns do que de outros!

Os lados que nos fogem serão os que recusamos encarar, os que nos recordam do que tanto nos esforçamos por esquecer. Os lados que nos fogem acabarão por voltar, se os deixarmos comandar o que somos, passando à frente do que também foi bom e nos trouxe prazer.

Sei bem que a minha forma de olhar não se assemelha à tua. Sei que quando o céu está escuro espero que clareie, enquanto tu esperas que chova e troveje. Sei que enquanto confio, mesmo que não de forma cega, tu duvidas até de ti. Seio que quero representar na tua vida, de que lado estar, enquanto ainda procuras pelas partes que escaparam, recusando-me a ajuda que até saberia dar.
Quem disse que amar era fácil? Quem nos enganou em relação aos lugares que, aparentemente, escolhemos para repousar …

Para que sintas o meu amor...

Não há nada que eu não seja capaz de fazer, ou sequer de dizer!
Quando sussurras o meu nome, a vontade de correr para ti quase que me sufoca, porque tocar-te nunca poderá ser igual a ouvir-te, mesmo que ouvindo o que me dizes me movas toda por dentro. Não há nada que eu não seja capaz de fazer, para que sintas o meu amor. Há quem o cante assim, desta forma que para mim faz sentido, porque sinto-te de cada vez que te oiço. Eu sei que conseguiria ir onde me levasse o mundo, porque a vontade que tenho de te ter não faz mais do que crescer.
Para que sintas o meu amor, estou a mudar até o que nunca me pareceu possível antes, entendendo que podemos ser diferentes, para permitir que connosco e em nós permaneça quem chegou. Para que sintas o meu amor, mantenho-me acordada, alerta, livre de todos os outros e sequiosa de tudo o que passamos um ao outro. Para que sintas o meu amor, e para que cada um dos teus sonhos se tornem realidade, sou capaz de chegar ainda mais perto do que já estamos. Para…

Disseste que me amavas e eu acreditei!

Disseste que me amavase eu acreditei!

Acredito em tudo o que me dizes, porque pareço conhecer-te a essência. Acredito porque todo tu és o que sempre pedi e porque há muito que te esperava, mesmo que não que não povoasses os meus pensamentos, como acontece agora, a todos os segundos das longas horas que os meus dias têm. Acredito no que dizes querer de mim e na falta que te faço. Acredito, e aí mais do que tudo o resto, que me amas mesmo e que estás para mim tal como estou para ti.
Sinto que fazemos sentido. Sinto que o doce dos nossos beijos só o é porque o somos nós, um com o outro. Sinto que me sentes como o faço eu. Percebo do que percebes. Oiço e bebo cada palavra que me muda, transforma e me faz amar-te como já me amas tu.
Disseste que me amavas sem te pedir. Disseste porque te estava a sufocar, porque não encontravas forma de manter, dentro, o que eu precisava de saber para te seguir. Achaste sempre que o faria e eu fiz. Disseste que me amavas com uma convicção que me deixou desa…

De que forma conseguimos reconhecer quem já nos pertenceu?

Já fomos apenas quem importou, no mundo que conhecíamos e do qual partimos juntos, como começámos. Para lá do meu rio existia o teu e sempre que eu estava no único lugar que me pacificava a mente, tu estavas por perto, olhando-me e parecendo ver e sentir o que eu via e sentia, mas sem nos falarmos, sem nos tocarmos e sem passar dos nossos lados de um rio diferente, não porque tivesse outro nome, ou corresse em direcções erradas, mas porque eram diferentes nas margens dos nossos mundos.
Porque será que os grandes amores apenas acontecem pela inevitabilidade? Porque queremos sempre o que não podemos ter? Porque olhamos de outra forma para quem é realmente diferente, mas passa a fazer parte do que sabemos precisar e ser certo?
Ninguém nos disse que não nos poderíamos ter, mas não seria preciso, toda a nossa diferença o gritava a cada dia, em todas as formas de estar e de viver.
Para lá do meu rio estavas tu, o homem que mudaria até a forma como usava os sentidos, que me ensinou como se po…

Queres saber o que já sei?

Queres saber o que já sei? Vi-te. Senti-te. Cheirei-te e fui inundada de ti. O teu sorriso enchia a sala, aquela que não identifiquei, ou talvez sim, mas estava demasiado atenta a ti para reparar. Estavas no lugar certo e a tua presença fazia sentido. Não tive o habitual mal estar que os outros me passam quando se tornam demasiado intrusivos, gostei de tudo e conseguiste ser o que me fazia falta, o tempo todo que durou o nosso momento.
Não sei por que nome és chamado. Não sei qual o timbre da tua voz, mas espero, ansiosamente, poder voltar ao mesmo momento e lugar para desta vez registar tudo. Não sei o que significas e se foste apenas fabricado pela minha fértil imaginação, mas pareceste demasiado real, mesmo no meio de tanta irrealidade... Deixaste-me numa paz que me manteve ainda mais serena. Passaste-me, num par de horas, a esperança no outro, no tal, naquele que me é destinado. Não me senti tola. Não procurei desculpar-me e não me impedi de dormir, fi-lo ainda mais profundamente,…