Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Julho, 2014

Eu aviso sempre!

Eu aviso sempre. Eu digo quem sou, de que forma me comporto, até onde estou pronta para ir, só arrisca quem quer e se considera forte!

Demorei algum tempo a entender-me, a saber o que mexe comigo, de que forma me deixam POSSESSA, ou simplesmente me abrem o coração para permitir que entrem. Deu-me trabalho ser eu, ainda dá, todos os dias "ralho" comigo e tento-me abrir para o mundo e para os outros, mas sou CAUTELOSA, não quero beliscaduras no coração, mais nenhuma por favor.

Comigo, ou entram de rompante e me tiram os pés do chão, mas até aí vou continuar a pesar e a medir, ou então deparam-se com um muro, alto, resistente, à prova de bala.

Eu aviso, por isso oiçam-me com atenção!

Precisas de mim?

Precisas de mim? Pede que eu vou!

Já fazes parte dos meus dias, e sim, fazes-me falta sempre que não te sinto. Chegaste para me preencher um pouco mais, para que pudesse provar de sensações únicas, para rir mais vezes ainda.

Nada contigo é suave, natural, um lugar comum. Entraste de rompante, sem pedir licença, a dizer o que queres de mim, o que esperas que te dê, fazendo-me calar sempre que me ponho a "gritar" perante esta sensação de chão movediço. Não me entendas mal, gosto de ti assim, e só sendo quem és me poderias fazer olhar duas vezes, pensar que gosto e tenho direito a tudo, relativizar, desejar até quase enlouquecer, mas segurar-me para nos ajudar aos dois.

Já sei que precisas de mim, é fácil entender porque sinto igual, quero igual, mesmo que me tente meter bom senso. O problema é que já não pareço ir a tempo!


Tiraste-me o peso do mundo dos ombros!

Tiraste-me o peso do mundo dos ombros!

Mostraste-me que não preciso de continuar a fazer o percurso sozinha, que estás comigo, que voltaste para te assegurares que fico bem.

Tudo se ajustou assim que me olhaste, não foram precisas demasiadas palavras, ficámos quietos abraçados e tudo o que cada um viveu durante este tempo, o outro conseguiu sentir. Sempre soubemos que acabaríamos juntos, que a viagem se faria, a uma dada altura ao contrário, mas que acabaria aqui, em nós e connosco.

Eu já sei como será estar contigo quando formos mais velhos, quando o nosso futuro passar pelo passado que conseguimos construir. Sinto de que forma as nossas mãos não se conseguirão largar sempre que caminharmos lado a lado, que sorrisos teremos para partilhar quando aninhados, no final de cada dia, falarmos de nós.

Hoje conseguiste que todo o peso em forma de medo que carregava, o de nunca mais te voltar a sentir, se desvanecesse. Agora sei que vieste para ficar!

You lost me!

I kept you around too long, waiting, hoping my desire would be enough to bring you back, but you ended up losing me!

I no longer need to beg, to see you in every dream, to breathe your scent, trying harder not to forget your face. Everything seems to have adjusted to the time, to the disappointment, because I apparently never got to know you at all.

Do you have any idea of how much I have loved you back then?, nothing in my world made sense if I could not include you, my strenghth was constantly restored, each morning I believed would be the one, when you would finally come back to hold me close and explain.

Life is a journey and at a certain point you will have to return, to stop running, bringing peace to both of us. No point looking back, no need to let me see you now, I gave you up, I don´t need to know, not now, not anymore!

Dias contigo dentro!

Tenho a sensação de que estive isolada, do mundo, durante 3 dias. Durante mais de 4320 minutos, fomos apenas nós os dois, nem me consigo lembrar de qualquer outra coisa que tenha acontecido no decorrer de tantas conversas, longas, quentes e envoltas no que somos ambos.

Bateste-me aos pontos, só podia mesmo, porque eu tenho sempre um medo terrível de ultrapassar a barreira do razoável. Quando as palavras quando saem, ficamos sem forma de as trazer de volta, está dito, está dito...

Quem é que me iria dizer, nesta altura da minha vida, que chegaria alguém como tu, com todo esse fogo que te consome e a todos ao teu redor e me farias questionar o que ando a fazer aqui, porque sou sempre tão contida, porque me encolho e continuo a dosear-me? Deste-me tudo, muito e eu recebi, fechei os olhos e embarquei, sem sequer olhar para o destino do navio, forçando-me a acreditar que se eu permitisse, seria natural e aconteceria. Ah, mas como eu me conheço, quando não estou confortável, quando o corpo…

Vamos lá...

A ver se me explico, se sou suficientemente clara!


"Bati" de frente com o homem que me fartei de pedir. O Universo ouve-nos realmente, e eu sempre lhe disse que queria um homem forte, intenso, alguém que me quisesse cuidar, que me desejasse, tanto, que não fosse preciso ter ou sequer incluir outra pessoa. Quem me conhece sabe que teria que ser mais do que eu, mais capaz de determinar de que forma vamos, continuamos ou paramos, porque eu nas relações sou cautelosa, demasiado talvez, não gosto de arriscar, quero ser eu a escolher, mas de preferência para mais tarde, para o dia depois daquele em que formos falando.
MAS não me expliquei bem, intenso sim, mas tu? CARAMBA, não tenho pernas, nem coração para ti. Já mexeste mais comigo em dois dias do que alguma vez acreditei ser possível.
Estou com medo, é inevitável, de te ter, de te tocar a primeira vez, de te querer tanto que toda eu passe a precisar de beber de ti, de querer que todos os dias sejam contigo dentro, e com medo q…

Nem sempre...

Há dias em que leio o que escrevo e acho que já esgotei todas as palavras possíveis, sobre ti, sobre nós, sobre tudo o que venho sentindo desde que descobri que afinal era uma mulher cheia de intensidade e de desejos!

Não consigo entender porque acabamos a querer tanto quem não nos quer de igual forma, porque teremos que passar pela provação de mendigar atenção, carinhos, quando tantos outros estariam disponíveis para o oferecer.
Eu sei que foste tu que me acordaste do sono que eu julgava estar a sonhar, repetidamente, a cada dia, mostraste-me, apontando e falando, que eu ainda me mantinha tal como no início de mim. Deste-me a parte que escondia por medo, medo de ser demasiado visível, de estar exposta, de querer que me quisessem.
Sei que agora estou aqui, definitivamente para ficar, para me impor, para não desistir à primeira, mas mesmo com toda a cautela que me imponho, percebo e sinto que um dia terei ao meu lado quem me importa.
Quando vasculho tudo o que já deitei para fora, per…

Mesmo que eu queira...

Não sou somente eu, nada gira apenas em torno de mim, tudo o que eu desejo, sonho, movo, decido, tem e terá reflexos nos meus!



Desde que deixei de funcionar apenas com o meu "eu", no singular, querendo porque sim, desejando e olhando para o futuro, incluindo-me sem reservas, expectando e procurando, passei a medir e a pesar tudo com MUITO cuidado.

Não estou a usar desculpas, não me estou a refugiar para me proteger, estou sim a "explicar" que, e porque nada vem sem custos, também eu sou pressionada, por mim mesma, a minimizar os dados colaterais.

Se eu me restringir ao plano inicial, se não me desviar da rota antecipando os percalços, cuido dos meus e sou cuidada, caminho segura e termino os dias, a cada dia, com a certeza que mesmo dorida fiz o que era suposto. Eu não estou em 1º lugar, estou em 4º ...

Vá lá, mude!

Vá lá mude! Estava a ver um programa de televisão, no qual falava um psicólogo e aconselhava as pessoas à mudança!
Mudar passa por nos conhecermos, BEM, por sabermos como iremos reagir perante algumas situações mais sensíveis, nas quais nos exijam tomadas de decisões, rápidas e nem sempre pacíficas.
"Mude, use a paixão, invista em si, arroje". Eu ouvi com imensa atenção e identifiquei-me, fez eco no que sou hoje e ao lugar no qual finalmente cheguei.
Hoje sei que sou mais perseverante, que não receio correr, procurar, entender o que quero para mim, o que faço aqui, e na verdade o resultado final terá que ser sempre ser feliz, no trabalho, nas relações, em tudo e com tudo na vida.
Eu estou no caminho da mudança, já faz algum tempo, mas hoje mais do que ontem e certamente com mais determinação amanhã!

Inquieta!

Tanto que não consigo parar, pensar, olhar e sequer sossegar. Que sensação incrível de expectativa, sinto que vai acontecer alguma coisa, BOA, a qualquer instante e não me consigo conter.



Estou estranha, mais do que o habitual dirão os que me conhecem, mas a verdade é que até os meus dedos tremem perante a antecipação. Eu sei que sim, sinto, bem dentro das minhas entranhas, que será agora, que todo o meu mundo se irá expandir, crescer, ampliar...

Agora só falta saber quando e o quê exactamente, mas que vem, ai isso vem!

Ter e sentir outra vez!

É o que todos nós desejamos, aqueles que interromperam relações amorosas, planos em conjunto, vidas que julgámos poder antecipar. Queremos alguém que nos toque e nos faça querer o que já tivemos antes, desejamos poder pertencer a alguém, a um corpo que reconheça o nosso, a ter um lugar comum. Não é fácil, ou será talvez mais difícil do que parece, porque cada toque carrega um milhão se sensações que lideram as nossas emoções, cada olhar e cada palavra que se junta a todas quantas irão escrever uma nova história, levam o dobro do tempo, são mais cautelosas, carregam um medo que subtrai alguma coragem, mesmo que o queiramos muito.
Depois de ter ouvido hoje quem está a ter, de mansinho, um dia de cada vez, uma nova relação, quem não consegue parar de sorrir e que não se cansa de falar de todas as sensações que julgava mortas, fico cheia de vontade de estar lá, de encontrar quem me encontre, de poder fazer planos em conjunto, de parar de recear a felicidade, independentemente do tempo qu…

Estava a ouvir-te!

Estava a ouvir-te e foi impossível disfarçar que mexes realmente comigo e que afinal conheço bem cada trejeito teu. A forma como mexes no queixo que já beijei tantas vezes, o sorriso malandro quando não aceitas o que a outra pessoa te diz, as mãos, grandes, nas quais as minhas tantas vezes se aninharam, que se movem seguras, desenhando os teus desejos e provando a tua segurança...
Estava a ouvir-te e percebi que não tenho como conseguir que passes despercebido. Foste demasiado presente na minha vida e estás de pedra e cal em cada minuto dos meus dias.

Mantive-me atenta a tudo o que falaste sobre ti, o modo como contaste cada percurso que tão bem conheço. Fui largando sorrisos de confirmação, mas mantive-me atrás, apagada e algo triste por perceber, naqueles minutos que pareceram horas, que será assim que me manterei na tua vida, um passo atrás, na sombra para que possas brilhar.

Estava a ouvir-te, mas levantei-me, ri com vontade e decidi que se não for eu a gostar mesmo de mim, o que t…

Aqui...

Sentada, comigo, a ouvir-me por dentro, fico com toda a vontade do mundo de correr para te ligar a dizer que afinal preciso de ti e pronto!

Se fosse fácil e racional já o teria feito, se soubesse e sentisse que irias aceitar-me, que dentro de todas as palavras que te ofereço me irias reconhecer, hoje e agora, não estaria aqui, mas aí, contigo.

Sempre desejei saber como seria sentir assim, de que forma me manteria sã se dependesse tanto de alguém. Gostava de pertencer a outro que não apenas a mim. Gostava de saber que a cada vez que estivéssemos juntos, bem seguros de nós, amando-nos como sempre dissemos desejar, tudo o resto não teria qualquer peso ou importância. Tanto que gostava de conseguir mudar e adaptar tudo para que coubéssemos também nós.

Aqui, olhando-me no espelho, não consigo deixar de pensar que poderia ter bem mais e que se me pedisses não teria como negar. Já te perdi uma vez. Já olhei para trás e para os outros, a pesar e a medir como seria se te aceitasse. Mas hoje e …

Ver-me...

Quando e sempre que te vejo!

Percebi que eras a outra metade de mim, olhando-te. Também tu me sorriste, aceitando e confirmando que fazia sentido, que não era apenas eu, que sentíamos ambos o mesmo.

Estes momentos parecem chegar sem aviso e talvez por isso sejam tão mágicos e únicos, servem para nos provar a inevitabilidade da vida e que o que estiver para nós virá.

Se eu te conseguir passar sempre a forma como te sinto, o quanto és importante para mim, se eu conseguir impedir-me de me refugiar em silêncios, nos medos que nos cobrem a todos de dizer e sentir demais, de parecer ridícula, de falhar, então tudo o que somos virá para ambos em dobro.

Só quero uma história, um olhar, uma alma, o meu reflexo em ti, tu do único lado que me faz falta, aqui!

Eu disse antes...

Afirmei, que preferia cegar do que te ver com outra, feliz, arrumado, seguro!



Não adiantou, o Universo não me entendeu, ou acabei a explicar-me mal e tive mais do mesmo. Tudo o que não queria.

Eu faço-me de forte, fico atenta à postura, coloco um sorriso nos lábios, mas ver-te, ver-vos, dói demasiado, arranca-me demasiados pedaços.

Ninguém se prepara para algo assim, nem o tonto do coração, que mesmo não vendo, sente, parece ter resistências para tanta crueldade, da vida, de nós mesmos e das escolhas erradas que acabamos a fazer.

Não te quero saber feliz, não quero saber que o teu riso agora pertence a outra pessoa e que já não há nada que eu possa fazer para mudar o que escolheste e o que eu desisti de ter!

Love is in the air!

Everywhere I look around!

Love is in the air! É mesmo como a música, é só casais felizes, apaixonados, de bem com a vida e com eles mesmos à minha volta. Cheguem para lá, estou enjoada, ou será ciumenta e invejosa?

Amem-se, muito, acertem os passos e se sobrar algum niquito de bons fluidos, mandem para mim que eu aceito. Não, desesperada ainda não, mas pronto, tem dias!

Será que continuo demasiado cerebral e exigente e por esse motivo afasto tudo e todos, até as moscas? Será que ainda espero, secretamente, pelo príncipe encantado, o que me levará pela mão, mostrando-me o que ainda não conheço? Será que me habituei a construir imagens de pessoas que não têm forma de existir? Não, esta não posso aceitar, porque certamente que existem outros como eu, com os mesmos valores e desejos.

Love is in the air! O amor está continuamente no ar, para cada tipo de pessoa, até para as que não acreditam que ele pode mesmo chegar. O amor faz-se, encontra-se e alimenta-se, connosco, por nós e pelo que con…

Só custa decidir!

Só custa decidir! A vida é demasiado curta para nos andarmos a arrojar em vez de caminhar. Sou um ser que se move a uma velocidade excepcional e que necessita de estímulos, de se sentir motivada, porque quando tenho o motor a funcionar em pleno, sou imparável, no entanto e quando decido que estagnei, ou que o final da estrada não me trará satisfação, abrando, repenso, com enorme cuidado e decido!

Decidi que queria mais profissionalmente e por consequência anunciei que eu era a mais importante. Estou oficialmente pronta e aberta a novas experiências e o céu, uma vez mais, é o meu limite. Medo, apenas que algo aconteça de mal aos meus filhotes, porque para tudo o resto tenho garra e determinação para chegar onde entendo.

Este é o ano da mudança e consolidação do que sou como pessoa e até onde estou disposta a ir para me sentir completa, reconhecida, alimentada!

Do outro lado do telefone...

Do outro lado do telefone estás tu!


As nossas noites prolongam-se, até que, e já na cama, cada um na sua, entramos bem dentro do que cada um sente e espera do outro.
Já perdi a conta às vezes que nos fizemos vir, um ao outro, de todas as sensações que a nossa respiração passou, das imagens que o cérebro construiu, das vozes a apagarem-se de tanto gritarem o que desejam, o que precisam. Já não imagino as noites sem ti, porque estás comigo da forma que me deixa realmente viva e consciente do que preciso para ser feliz, e é tão pouco se estiveres comigo.
Ainda não descobri como te ter na minha cama, a cada final de noite e começo de dia, mas também sei que já faltou mais, quem sabe se eu o desejar muito...

Pelo menos...

E com sol, até os dias mais arrastados correm melhor!



Daqui consigo vê-lo, com o céu que não estando totalmente limpo, também não está a minha vida, pelo menos é azul. My favourite colour!

Nada como um dia depois do outro para nos reabastecermos das energias que nos fazem perder. Eu lá me vou ligando à corrente à noite e logo pela manhã, acordo a pensar que terei que ser eu, sou sempre, quem virá compor o que não estiver no track, sou eu a rearranjar, a planear e a fazer cumprir. Cansa, ohhh se cansa, mas a alternativa não existe, não ainda, por escolha minha.

Se chegar quem consiga partilhar até o ar que respiro, então depois eu reconsidero. Até lá...

Ler cada palavra...

Ler cada palavra, as que já escrevi, todas as que senti em cada percurso, estando feliz, triste, derrotada ou conquistadora, mas sempre mulher, fez-me entender porque preciso tanto de as usar.

Lê-las leva-me a cada pedaço de mim, sabendo de onde vieram, permitindo-me descobrir porque cheguei até aqui, assim, tão intensa, tão apaixonada por tudo o que me mantiver mais viva e real.
Não cesso de me surpreender, com o que consigo dizer aos outros em forma de vogais embrulhadas em todas as consoantes que consigo misturar e transformar num cocktail de descobertas, com todos os mundos que já conheço e com todos os outros que ainda me restam.
A vida passa tão veloz, demasiado, para se deixar o que quer que seja engasgado. Depois de ler todas as palavras que já usei, uma a uma, sorri feliz, por mim, por perceberque não me esgotei e que ainda me resta muito por dizer !