Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de 2017

Somos diferentes, pois tá claro!

Somos diferentes. Pois somos mesmo, até para o bem do mundo convém que sejamos. A nossa diferença ainda fará correr muita tinta e permitirá que se escrevam romances épicos e se façam estudos de caso!

Os homens recorrem a formas bem diferentes das mulheres para "sobreviverem" a um desgosto amoroso. Por norma fecham-se em si mesmos, sofrendo em silêncio e esperando que passe, sem que ninguém dê por isso.

Um homem não chora, certo?

Se acham que sim, quem sou eu para contrariar. Têm quase sempre uma razão que ninguém entende e recusam falar sobre o óbvio. Fugir é o melhor remédio e de preferência para outro planeta.

Já as mulheres, gritam e esperneiam, falam de tudo com todos quantos se lhes cruzem no caminho, até com o carteiro, se ele tiver tempo. As mulheres lavam a alma como a usam, com palavras, com choro, muito, com ameaças que raramente cumprem, e depois, depois pronto, arrumam com a coisa e seguem em frente, não sem algum drama digno de novela mexicana. Como já perceberam…

Gente que a gente não reconhece!

Distorções que nos deixam incrédulos. Gente que não se encaixa em lugar algum, porque passa demasiado tempo a olhar para o lado errado da vida de todos. Comportamentos que assustam, pela deformação, mas que terão que servir para nos abrir a pestana.

Gente que a gente não reconhece e nem quer conhecer. Eu sei que não quero. Será que as mudanças climáticas estão a afectar cérebros mais danificados e sem qualquer conteúdo ou massa? Como é que dormem à noite? O que lhes sobra do que tiveram, quando aparentemente nem teriam nada? Gente que a gente não reconhece porque daria demasiado trabalho. Gente que não podemos incluir em lugar algum, porque acabaria, o lugar, demasiado conspurcado, tanto que nenhum detergente o limparia. Gente que tresanda a pequenez emocional e vão lá saber que me cruzo com uns quantos. Gente e gentalha que ocupa mais espaço do que merece e tantos que faziam falta e já partiram...

Por norma quando escrevo assim, há sempre quem me pergunte se estou amarga ou zangada. …

Vou confessar...

Vou confessar que nisto das relações não sei jogar e não entendo as que parecem ter sempre e apenas dois lados opostos!

Não quero ter que pedir para que olhem para mim, já não. Sinto-me numa tranquilidade tão profunda, que por vezes quase que pareço flutuar, e  por isso a ideia de nunca ter quem chegue a ser meu deixou de me perturbar. Cada um de nós terá aquilo para o qual "trabalhar" e o que tiver que nos pertencer, acontecerá com toda a certeza, mas sem forçar e sem ter que implorar.

Gostar de alguém, sentindo, nem sempre de imediato, que será com ela e por ela que conseguiremos superar o que vier, faz com que tudo se encaixe, mas nunca pela imposição, porque quando não estiver claro para uma, não estará onde deve. Gostar de alguém é um acto tão natural como respirar, e sem ar ninguém vive. Gostar de alguém é ter certezas, não deixando que o medo se instale. Gostar de alguém é perceber que poderemos ter o prazo que cada um se atribuir.

Tudo é tão efémero e tão frágil, que p…

Brindando com uma taça de vinho na mão!

Brindando com uma taça de vinho na mão. Com o cenário perfeito por trás, tu. Com a pessoa que faz de mim uma bem melhor. Com a chuva lá fora, mas cheia de sol dentro, de mim e de nós. Com todo o amor que te tenho e a certeza de que me amas de volta. Com a força que me passas e eu te devolvo. Contigo, hoje e enquanto nos reconhecermos!

Vai sempre bastar uma única palavra para que o que fazemos bem comece. Não precisamos de muito para nos superarmos, porque sabemos do que é feito o outro e cuidamos de nos cuidar, da mesma maneira e ao mesmo tempo. Fazemos o que deve ser feito para que nada fique para lá do que queremos e ouvimos, com toda a atenção, o que o outro tem para dizer.

Brindando com uma taça de vinho na mão, sem motivo, mas com todos os que nos trouxeram até aqui, desejamos o que é suposto a quem amamos. Vida longa. Muita saúde. Amor aos magotes, Sorrisos daqui até à lua. Toques de seda, no corpo e no coração. Razões para nunca as deixarmos de ter. Confiança, respeito e olhares…

O que faço desde que te foste...

O que faço desde que te foste. Os movimentos que o meu corpo permite, são mecânicos, seguem uma rotina que não é a minha, nunca foi, mas há muito pouco que consiga fazer e queira, porque sem ti, não sou, não tenho, não quero e não me sinto...

Os meus sorrisos são esgares. Os meus olhos não têm brilho, e o meu corpo deixou de me respeitar, nem poderia, porque o comando de forma errada e deixo-o, abandono-o, para que me doa menos, mesmo que não pare de doer.

Os meus movimentos, contigo, eram cadenciados, tinham ritmo, carregavam todo o desejo que carregava por ti. Os meus movimentos, logo que te via, tornavam cada músculo mais forte e capaz de passar a energia a todos os outros, para que também tu o sentisses. Os meus movimentos deixavam-te a cantar, a assobiar as minhas músicas e traziam-te, a cada minuto, até à minha boca para que a beijasses sempre e para sempre.

Tu prometias-me, juravas e afirmavas, sempre que me apertavas, forte e determinado, que nunca me deixarias só, porque sozinh…

Quem me salvou...

Quem me salvou, de mim, foste tu, com esse amor imenso e com cada umas das certezas que me fizeram confiar. Quem me ensinou de que forma me posso libertar, dando-me a quem me deu tanto, foste tu, tu e esse olhar que me desnuda e faz parecer ainda mais pequena. Tu que me tocas nos lugares certos e me passas arrepios que me libertam do passado e de tudo o que outros não souberam fazer. Tu que me ensinas a usar os movimentos que nos movimentam bem mais do que o corpo. Tu que me sorris para que me tranquilize e te ame de volta. Quem me salvou estava à minha espera.

Nunca, em momento algum deste meu percurso já longo, tive comigo e em mim, alguém que me soubesse ler tão bem. Contigo não existem perguntas. Contigo as conversas são fluídas. Contigo as mãos não se soltam e os beijos não se roubam, dão-se e sentem-se muito antes de começarem. Contigo eu não preciso de querer mais, porque já tenho bem mais do que preciso. Contigo o rir é genuíno e as lágrimas são de um prazer sem legendas.

Quem …

O que somos nós as mulheres?

O que somos nós as mulheres? Um planeta inteiro, com todo o poder combinado e apenas em um dos sexos, o protegido por Deus, o nosso, o meu!

Já estou a antecipar o motim, os homens aos gritos, a esbracejar, indignados. CALMA, respirem fundo, afinal de contas... NÃO, não estou a brincar, é mesmo o que acho. Pronto. 

É definitivo e está registado, que assustamos com o nosso poder, declarado e  instituído. Fazemos tudo, sabemos como encaixar cada pedaço de vida e para completar, damos vida. UAU! Só isso teria que ser o bastante, se não existisse outra coisa a referir. Mas sabem que mais? Esta história de ter poder confere uma sensação de ainda maior de poder e é assim que vamos crescendo em atitude e vontades.
Não sei o que é nem como chega, também não sou assim TÃO senhora das análises e existem porras que o são porque sim, não vale a pena perder demasiado tempo a analisar. Sei apenas que o que sou me basta e que o entendo com imensa clareza desde que me tornei crescida. Sei que nada me …

Segredos todos nós temos!

Segredos todos nós temos, por isso mesmo nunca poderemos ser totalmente de vidro, permitindo que nos vejam de todos os ângulos e que nos descortinem a alma e os desejos mais íntimos. Os segredos são a nossa protecção, o nosso muro, a separação entre o nós e os outros. Alguns dos nossos, após revelados parecerão pequenos e insignificantes, comparados com uns quantos que nos esconderam, de amores, de enganos, de crimes passionais, de roubos de identidade e de tudo o que nos permita a imaginação, mas que atormentaram quem os possuía, impedindo-os de se partilharem.

Sermos apenas nós. Termos o que mais ninguém conhece ou sequer sonha. Irmos a lugares que nos impedem, muitas vezes de enlouquecer, essas serão as melhores partes dos segredos e o jogo que mantemos para que também eles se mantenham a salvo, é absurdamente estimulante.

Se eu tenho segredos? Sim, claro que tenho. Se me poderiam manchar a reputação, conspurcando a imagem e fazendo com que todos se espantassem perante a minha capa…

Digo sempre tudo!

Digo sempre tudo, e foi o que fiz, disse tudo o que pensava sobre ti, porque não existia outra forma de terminar com os meus fantasmas e construções, certas ou erradas. A ti caber-te-ia responder, contrapor, ou simplesmente aceitar. Claro que não o fizeste nem farás, porque sabias, melhor do que ninguém, que eu não deixo nada por dizer e que quando falo mais alto, tenho sempre razão.

Foi a comunicar que chegaste até mim, foi com palavras que percebeste o uso que eu lhes dou, e se insististe, se achaste que terias músculo emocional para aguentar comigo, deverias ter continuado a ir aos treinos. O que aconteceu afinal? Eu vou dizer "alto", para que não restem dúvidas. Desististe, comecei a dar demasiado trabalho, tornei-me tão certa, de um certo que te mostrou o quanto estavas errado, que sentiste vergonha, de ti mesmo, claro está.

Sei muita coisa, é um facto, mas nunca saberei entender um cobarde, seja ele de que sexo for. Sei que algumas pessoas não foram talhadas para ter ca…

De onde nos vem a vontade de continuar?

De onde nos vem a vontade de continuar, quando tudo à nossa volta parece ter uma ENORME vontade de nos derrubar?

Se estivermos, na maioria do nosso tempo útil, focados no que nos importa realmente, acredito que seja mais fácil apanhar os pedaços que vão inevitavelmente caindo. Não podemos entregar, na totalidade, aos outros a responsabilidade de nos recompor, de cada vez que acabemos no chão, sempre que a vida, ou o destino nos pregar partidas e de cada vez que as escolhas não tenham sido as mais acertadas.

Ser forte trás responsabilidades acrescidas, porque todos à nossa volta passam a acreditar que nunca, mas nunca mesmo, nos ressentimos dos percalços, os mesmos que até os "fortes" terão

- Tu dás a volta por cima.
- Claro que sim, não tenho alternativa, mas não significa que para mim seja fácil...

Por esta altura já não me estão a ouvir, talvez porque nunca me tenham visto verdadeiramente caída, isso não faço, reservo para mim mesma as fragilidades, até porque sou avessa a…

Já nem eu, nem tu...

Não fazes ideia, nem consegues uma pista que seja, do que estou a pensar e onde me encontro agora. As minhas rotinas já não passam por ti e nem sequer sabes quem me tem!

Cada um se arma da forma que melhor o protege, e assim segue em frente, sorri outra vez e deixa que os dias aconteçam, sem desvios nem azedumes, naturais como se espera e deseja. Muito provavelmente também tu já terás seguido em frente, oferecendo os teus abraços a quem precise de se sentir protegida, cuidando de usar as palavras que todos esperamos em cada início, proporcionando os prazeres que nos arrancam do chão, passando as emoções que sentimos quando temos por perto quem amamos.

Queria para mim o que dás a outra. Queria-te a ti, a todas as horas que gasto a pensar como estarás e se agora já és finalmente feliz, mais do que te soube fazer. Queria poder esticar a mão e tocar-te, sentindo os movimentos que já se começam a desvanecer. Queria poder estar toda em ti, envolvendo-te até que já não pudesses ver ou senti…

Quem é que decide o que te importa?

Quem é que sabe o que é bom para ti? TU, claro!

Não adianta perguntares aos outros, tentando que visualizem, ou sequer que se ponham nos teus sapatos, porque no final e depois de muito pensares e analisares, a resolução será sempre tua.

Quem é que decide se o caminho que te surgiu é o certo? Quem é que decide se o amor que sentes, basta para que sejas realmente feliz? Quem é que decide se o que te bateu, bem dentro de ti, mudará o que estavas a construir?

Não te iludas com o presente embrulhado num papel brilhante, é que para chegares a ele, terás que o abrir, descartando, rapidamente o invólucro e depois só fica a contar o que lá estiver dentro. Não te iludas com promessas que nunca viste serem cumpridas, nem com palavras doces. Não te iludas com a lentidão na resolução do que é importante, se precisam de tempo para te escolher, então ainda não sabem que és tu.

NADA acontece por acaso. TUDO chega na hora certa, para te testar e aos outros e resistirá quem estiver preparado, todos os o…

A minha versão melhorada!

Sou das que procura e tenta melhorar sempre, não apenas por mim, mas por todos quantos me rodeiam, para que sintam que sou genuína, muitas das vezes sem filtro, o que até poderá ser incómodo, mas que fornecerá muita tranquilidade a quem lidar comigo, porque quando me tiverem, será por inteiro!

Já tive um período em que senti uma necessidade, absoluta, de mudar, de me entender e de encontrar ferramentas que me permitissem chegar a outro patamar. Acabei por encontrar a mulher que perdera, recuperando o passado que me impulsionara, e reactivando os sonhos que a vida me roubara, perante a minha passividade. Busquei, pesquisei, relacionei, li testemunhos e soube de resultados positivos, por isso implementei-os, testei-os com sucesso e passei a confiar mais nas minhas capacidades, não desistindo à primeira.

Saber que posso ainda conseguir uma melhor versão de mim, que com o tempo irei simplesmente apurar, dá-me forças para continuar, motiva-me, faz-me criar um projecto próprio e nesse proj…

Amanhã tudo será sobre ti!

Amanhã, dia 09 de Dezembro, o meu filhote do meio completará 18 anos. CARAMBA, o tempo passa a uma velocidade que não se explica nem retém. São já 18 anos de muita aprendizagem e de caminhos com e sem legendas. Ele é especial, tal como o são os outros 2, mas é o meu sagitariano na verdadeira acepção da palavra. Signo de fogo, mente livre, destemido e arrojado, quer sempre ir mais longe e foi-me testando dia sim e dia também, ao longo destes anos e desde que nasceu.

Tenho tanto a dizer dele, mas tanto, que não chegariam dois livros. É o meu preocupado de serviço, o que me questiona, impulsiona, sossega, mas também desassossega com as ideias mirabolantes que lhe ocorrem, para aventuras que nenhum coração de mãe aguenta. Tem um cuidado extremo com todos, e nunca vira as costas a ninguém. Tem sempre um olhar atento sobre quem está à sua volta e faz amigos à velocidade da luz, porque com o Rúben todos podem contar. Educado como só ele consegue, estou certa de que vai dar um excelente comp…

Parar, olhar e ver mesmo!

Parar, olhar e ver mesmo, já não fazemos nada disso, limitamo-nos a correr de uma relação, o mais veloz que nos for possível, para outra, fugaz, sem sumo, sempre que nos der trabalho e nos exigir empenho, entrega, vontade de nunca perder a vontade do outro, mas com muito desejo e corpo, o mesmo que um dia se negará aos malabarismos dignos de um Kamasutra elaborado, porque agora é tudo o que parece ser importante!

Conhecermo-nos. Darmo-nos tempo para conhecer o outro, tendo-o em todas as nossas pequenas coisas e dispensando-lhe o que depois se irá reverter a nossa favor, soa a desinteressante, porque todos parecem apenas buscar as emoções que sentimos quando nos apaixonamos e a adrenalina corre veloz, intensa, mas sem qualquer consistência, porque para que algo fique, terá que ser construído, tijolo a tijolo, com muitas horas, milhões de palavras, muito toque, mas vertical, de olhar vivo, brilhante, ouvindo com atenção e falando com emoção, sem máscaras, a ser o que somos realmente par…

Mantermo-nos vivos...

Já é um enorme feito mantermo-nos vivos, enquanto partes de nós ameaçam deixar de ser, pelas dores reais, pelos momentos que se quebram e por todas as pessoas que nos deixam. Mantermo-nos vivos enquanto precisávamos de poder morrer, por uns momentos que fosse, indo, mas conseguindo voltar mais fortes. Mantermo-nos vivos pelo tempo que nos arrastamos, em dúvidas constantes e em medos que se colaram e não pretendem sair. Mantermo-nos vivos fora das paredes que nos protegem e sobrevivendo ao que nos arremessam, com enorme violência emocional, rachando o que nunca seremos capazes de selar. Por vezes, e para que nos mantivéssemos vivos, bastaria que nos olhassem como somos, respeitando as nossas incapacidades e até as forças de que somos feitos.

Nem sempre estar vivo significa ter um coração que bate ao ritmo certo. Nem sempre sorrir significa que se esteja bem, tal como chorar não é sinónimo de dores. Nem sempre sabemos como manter vivos os que amámos, porque são eles que comentem suicíd…

Precisava de precisar de alguém...

Começo a ficar seriamente preocupada com a forma como me estou a fechar ao universo masculino. Fiquei sem paciência. As minhas expectativas foram-se, não encontro qualquer estímulo e ninguém parece ser suficientemente interessante para me interessar. Se vai passar? Acredito e espero que sim, certamente que bastará esbarrar em alguém que me ligue os botões e BAM, acordo para a vida, mas precisava de precisar de alguém e de deixar de ser apenas eu.

Quero voltar a sentir falta de alguém e a desejar que me desejem de volta.
Quero acordar a pensar em alguém real, disponível e meu.
Quero saber que do outro lado da minha vida existe quem me completa.

Quero querer, rapidamente, porque para já não quero NADA, não sinto qualquer cheiro e já começa a tornar-se para lá de assustador. O meu corpo tem reclamado. Chama-me nomes feios. Grita-me bem alto, mas eu respondo que não posso fazer mais nada, porque para ter verdadeiramente quem me tenha, terá que haver muito mais do que parece existir. Se b…

Se o arrependimento matasse...

A realidade supera na maioria das vezes a ficção e nunca é tão colorida, ou sequer amiga dos sonhos, por isso mesmo é que pensar antes de agir de impõe, sempre e a cada momento!

Se o arrependimento matasse, tantos que cairiam durinhos à minha frente, frios e impróprios para consumo. Na verdade não caiem assim, caindo mesmo, se é que me faço entender, mas dão tombos que deixam marcas e ficam sinalizados para análise futura. Se o arrependimento matasse, mesmo, talvez as burradas fossem menos graves e os olhares pousassem em quem deveriam, excluindo quem apenas faz número. Se o arrependimento matasse, eu também já teria esticado o pernil, sobretudo por ter permitido que uns quanto me enublassem os dias, quando me esforço tanto para os manter da cor que me move. Se o arrependimento matasse, não faríamos experiências com os outros, as tais que eu apenas concebo em laboratório. Respeitaríamos mais quem nos toca e decide incluir, e pararíamos de querer parar o curso da vida, porque ela é com…

Assim, e só assim aceito andar por aqui!

Eu sou assim, desta forma, talvez peculiar, porque nunca tento passar por cima de ninguém ou sequer magoar. Gosto muito de viver e de permitir que vivam todos, de preferência felizes, porque enquanto o forem não me darão qualquer trabalho!

Viver não custa realmente, se tivermos aprendido de que forma se vive, connosco, com os outros, sabendo quando ceder e quando nunca, em momento algum, deixar que nos deixem nos lugares errados, porque teremos que ser nós a sair deles e a limpar o que nos "sujou".

Ninguém diria, e muito menos eu de mim, que conseguiria ser tão analítica, vendo as coisas de diversas perspectivas e aceitando o inaceitável, pelo menos na forma como construo a minha própria vida, mas cada um terá as suas escolhas, ou que viver com a falta delas, se eu as puder ajudar a entender, fine, se não...

Assim, como estou agora, de volta a uma mulher que não perde tempo se ganhá-lo for possível. A que não se perde em mágoas desnecessária, nem em gastar energias a tentar …

A cada primeira vez...

É sempre na primeira vez que nos apegamos, ou afastamos para sempre, e na nossa primeira vez soube-nos tão bem que ficámos!

A primeira vez que te olhei com atenção, aceitando que poderias mudar-me, vi o que já falhava há algum tempo, enquanto me fixara num fantasma, em alguém que só existiu porque o criei.
A primeira vez que me tocaste, com a minha permissão, e olha que me arrepiei agora só de o pensar, senti que estavas certo, que a tua insistência tinha valido a pena e que ser tua era tão natural como me encostar a ti, apenas e sem mais nada que exigisse tratados sobre relações.
A primeira vez que fizemos amor, soubeste esperar, deste-me espaço e tempo para te aceitar e quando o meu corpo se entregou, tive TUDO, da forma que eu imaginava e foi bom, sem esforço,  sem fantasias nem fingimentos. Ainda te consigo sentir e ouvir, a força em algumas palavras para me excitares e a tranquilidade em todas as outras, para me restaurares e podermos recomeçar.

Na primeira vez, após ter ac…

Os perdidos desta e de outras vidas!

Vou encontrando, cada vez mais, pessoas que parecem ter-se perdido do que são e do que é suposto fazerem, ainda, por aqui. Não importa o lugar, a idade ou a sabedoria que até terão acumulado, a verdade é que se vão esvaziando de conteúdo, tornando-se amargas, duras, surdas e meio cegas. Apenas ouvem o que dizem, como se achassem ter algo de válido para dizer. Sou decididamente boa actriz, porque coloco um sorriso tranquilo e deixo que continuem, em frente, até que se esborrachem. Não estou a ser cruel, apenas desisti de salvar quem nem sequer percebeu que se perdeu, irremediavelmente. Já não rebato monólogos. Já não quero ter razão. Já não perco um segundo que seja, com quem não me acrescenta, nem diminui, apenas não existe. Já não permito muito para além dos mínimos, de contrário deixaria de sorrir.

Como é que se explica que insistam nos mesmos erros, ignorando quem foi posto no seu caminho para os dirigir? De que forma se permitem não olhar para trás, rebatendo o que a vida lhes pr…

Quem está primeiro?

Qual é o teu lugar, e qual o meu? Qual a importância que temos, para cada um?

Primeiro do que eu, apenas eu, outra vez. Mas depois de mim estarás tu. Tem que ser esta a ordem, porque se eu não estiver bem, na minha pele e completa. Se eu não me cuidar e não souber do que falo e o que desejo, tu não terás forma de usufruir, nem sequer das metades.

Quem está primeiro? Nunca se colocou a questão, não na minha mente, porque para além de mim só existes tu e a forma como te encaixas e me devolves o que perco no final de cada dia, concede-te o papel principal, aquele que carrega quem faz parte do que tenho, do que quero e do que tem sentido.

Estamos um no outro, sem demasiadas regras, devagar, mas depressa o bastante para que mais ninguém tenha nem espaço, nem sequer lugar. Estamos onde é suposto e chegámos após muitas caminhadas errantes, demasiados amores quebrados e muito corpo vazio a reclamar.

Quando estou contigo e em ti, olho-te sempre ao mesmo nível e nunca me elevo. Não quero mais d…

Devemos recordar o amor!

Olá meu amor,

Porque faz sentido que o que teve importância se mantenha na nossa memória, hoje não poderia deixar de me recordar que há um ano atrás fui tua mulher e soube, quando me tocaste, que eras tu e que iria querer que ficasses, mas o que aconteceu de lá até aqui ditou o nosso afastamento, ou porque teria que acontecer, ou porque não soubemos manter o que demorámos a conquistar. Importa muito quais foram as razões, já as pisei e repisei e mesmo tendo encontrado algum sentido, percebi que simplesmente desistimos ambos, foi apenas isso.

Por vezes permitimos que a nossa insegurança, e as muitas perguntas que nos inundam a essência se propaguem como uma doença incurável, minando cada célula e fazendo com que sejamos incapazes de apenas parar, respirando fundo e continuando a remar para a frente. Sentimos a vergonha subir por nós, deixando-nos de face vermelha e com receio de que nos julgue o outro, pela fraqueza, pelas vidas que toda a nossa vida já carrega, e acabamos por fechar …

Com que então não têm tempo...

Volta e meia apetecia-me perguntar se os dias dos outros terão as mesmas horas do que os meus, é que oiço sempre tantas queixas, mas vejo tanto que se deixa por fazer, que me assusto comigo e com o que produzo. Às tantas ainda vou descobrir que os meus vieram como uma espécie de castigo e que por isso são a dobrar e não raras vezes a triplicar. Se assim não fosse como é que ainda leio 2 a 3 livros por semana? Como é que mantenho um blog, debitando tantas palavras, que pareço ter uma irmã gémea? Como cuido, literalmente assim, de 3 filhos, todos rapazes? O mais velho já tem uma namorada, a minha linda Ana, mas que ainda é demasiado menina para que também não a veja como mais uma filha. Escrevo romances, e acompanho uns quantos ao vivo e a cores, esses então davam um enredo ... Vejo filmes, mesmo que dos lamechas, sigo programas que me inspiram, novelas não porque a minha vida já é quase uma e não admito concorrência. Faço caminhadas e corro, para que não tenha que correr com uns quant…

Se eu te amasse...

Se eu teamasse como se perder-te fosse uma inevitabilidade, talvez não te tivesse tomado por garantida, a ti e ao que sentes por mim. Eu sei que já me deste, em pouco tempo, muito mais do que alguns conseguiram numa quase eternidade. Eu sei do que fazes, a cada dia, para estares por perto e por cumprires tudo o que me prometeste, segurando-me e não apenas o corpo.

O tempo tem-me fugido, a uma velocidade que receio não saber reverter e por isso querer-te, à tua maneira, passou a ser a minha prioridade.

Se eu já tivesse aprendido, lá mais atrás, certamente que não terias do que reclamar e a presença que quase desprezei, achando que estarias sempre, tem rareado, mesmo contigo por perto. O teu olhar de vez em quando já vagueia. O teu sorriso vem mal me olhas, mas o que os teus lábios calam assustam-me, começas a fazer-me uma falta inexplicável, porque sinto que te estou a perder, sem volta. O meu corpo arrepia-se, por nada, sem motivo aparente e ligo-te de imediato, para me certificar de …

Não se entende, nem se explica...

Não se entende nem se explica, na maioria das vezes, o que procuram as pessoas, o que desejam realmente e até onde serão capazes de ir para se manterem como estão, quietos, miseravelmente infelizes, sem mexerem o pé que poderia acertar o outro!

Não vou ser capaz, muito provavelmente por mais que tente e me esforce, de entender os mal amados, os que andam sempre de dedo acusador apontado para tudo e para todos. Deve ser realmente muito difícil acordar-se zangado com o mundo, a respingar por tudo e por nada, de cara feia e com rugas vincadas dos intensos franzir de olhos e de boca. Tudo desaba de cada vez que se levantam e ainda se parte mais um pouco quando se vão deitar. IRRA!

"Como é que se atrevem, os outros, a serem felizes quando eu estou em baixo e a sentir-me um lixo"?

É isto que pensam osnegativos de berço, ao invés de tentarem juntar-se aos que têm riso fácil e que acreditam que as tristezas não lhes pagam as dívidas, nem as de carma.

Não se explica a necessidade, qua…

O que alimenta a alma?

Do que será feito o que não se vê, nem explica, mas sente? O que alimenta a alma, para que ela possa fazer o que lhe cabe e continuar o seu percurso? De que forma interrompemos o que nos foi atribuído e será que o foi mesmo, ou tal como todos os outros seres vivos, teremos apenas funções associadas?

Não consigo ver a minha, mas sei do que é feita, sei agora, depois de todo o trabalho que me deu perceber o que a engrandecia. Mesmo não sabendo qual o seu formato, sei que se alimenta de todo o amor que consigo distribuir e que de cada vez que o sabor amargo se instala, ela se encolhe, comprimindo-me o peito e o coração. Não sei de onde viajou até ao hoje em que me reconheço, mas sei quando está livre, leve e aberta. O que alimenta a minha alma é a minha felicidade e todos os sorrisos que consigo largar, bastando, tal como agora, que sinta a verdade a percorrer os dedos com que teclo as palavras que o confirmam. O que alimenta  a minha alma e a prepara para todas as viagens que ainda emp…

Sexto sentido, quem tem?

Não são apenas as mulheres que têm o sexto sentido apurado, mas algumas já vão tão para lá do sétimo, de tal maneira, que não tarda vão saber do que os outros são capazes, antes até de o terem sonhado, ehehehe, isso é que dava um jeitaço.

O sexto sentido não é mais do que uns quantos semáforos vermelhos a piscarem sem parar. Deveriam ser capazes de nos impedir de avançar, mas como teimamos e vamos tentando olhar com atenção para todos os lados, acabamos "esborrachados" por um camião.

- Ai se ao menos me tivesse ouvido. Se não me armasse em arrojada e desistisse logo...

Bem, a cautela é realmente a arma dos sensatos, mas caramba, também temos que ir vivendo o que nos surge, esperando que não estejamos sempre erradas, até mesmo quando tudo aponta para que sim. Quem sabe, um dia, de preferência antes de estarem a ler o nosso obituário, não acertamos na avaliação de uns quantos montes de esterco que por aqui abundam, só ainda não decidi se é de vaca, de boi ou de cavalo, mas tam…

Tudo, tudo, não é possível...

Não é possível estar em todo o lado, apoiando todos e aceitando cada solicitação, sem que sejamos de alguma forma penalizados. Até eu já o percebi, por isso digo NÃO mais vezes. Sei que ficam umas quantas pessoas penduradas, mas mesmo que tenha sido privada de algum oxigénio ao nascer e por isso use de tantas velocidades, já me consigo parar, para que não seja parada pela vida. Não é possívelque seja sempre eu, não para outros que não eu mesma.

Os dias continuam a crescer, as decisões avolumam-se e dou comigo a pensar como seria bom ter quem decidisse por mim, uma única vez que fosse e que pudesse estar apenas deitada, ao lado de quem estivesse do meu lado, sabendo que estava bem e ficando eu também. Que bom que seria que tomassem conta de mim, e que eu o permitisse, sentindo apenas, sem o muito que me acrescento de forma desmedida, estando sempre na dianteira e vendo em primeiro lugar o que muitos tratam de evitar.

Não é possível que seja sempre eu, não para o que não me cabe, porque…

De quem é este mundo?

Este é um mundo de homens. Há quem diga que é e eu, lamentavelmente terei que concordar. No entanto, e como diz a música "This is a man´s world", sem a mulher certa não faz qualquer sentido!

Não importa quem o começou e de que forma o tem mantido, ao mundo claro está, o que importa é o papel que queremos assumir, e nisso nós as mulheres, demarcamo-nos um pouco, eu sei que será pelo muito que já nos cabe, mas temos que arregaçar mais as mangas e fazer deste mundo, um lugar que sirva melhor as mulheres. Somos ou não somos a maioria?

Caramba, até parece que estou a começar um movimento revolucionário, nada disso, nem me peçam para queimar os soutiens porque os meus são caros. Estou apenas a incentivar à tal da mudança que tanto apregoamos, e que deve começar por quem dela necessita, sem deixar nas mãos dos outros o que nos cabe a nós resolver.

mundo será de quem o conquistar emocionalmente, de quem dominar o sentimento mais instável, tanto quanto o são algumas substâncias líq…

Será o amor uma doença?

Será que o "bicho" que nos invade o coração e se infiltra sem antídoto conhecido é mesmo uma doença? Será que se propaga a velocidades distintas, assim seja mais frágil o portador? Será que podemos impedi-lo de se alojar no maior orgão que conhecemos, se soubermos ao que vem?

Já me estou a rir a bandas despregadas. CLARO que não, nem teria a menor graça se assim fosse. Deixemos entrar o dito cujo e ele que faça os buracos que entender, porque por eles acabará a passar o que não provoca danos e se aninha nas sensações boas que apenas proporciona o tal do amor. Amar é BOM e cura até as más línguas, porque uma vez amando, nada do que se diga importa. O amor é uma doença necessária, mas tem sintomas bem distintos. Para uns arrepia, movimenta, incentiva a que se saltem barreiras e se atravesse o gelo sem roupa adequada. Para outros, bem, para esses, os tais que nunca sabem porra nenhuma, nem quero ter bonecos que me expliquem o que lhes provoca.

Já amaste hoje? Não? Porquê?

O que…

Posso desistir de todos, mas nunca de mim...

Nunca me ensombro com o que correu mal. Nunca me permito ficar, demasiado tempo, no chão se me magoarem, porque não controlo quem chega, nem a forma como alguns se construíram, nem me cabe mudá-los. Nunca metralho demasiado o cérebro com os porquês de algumas almas, porque algumas são desprovidas de qualquer conteúdo e apenas deambulam por aqui. Nunca as culpo, mas também não desculpo os erros premeditados, porque sermos adultos acarreta responsabilidades. Nunca passo mais dias do que os meus dias me permitem, a tentar encontrar razões onde elas não existem, porque as minhas energias são o que me mantém capaz de ir derrapando nas pessoas erradas.

O que me forço a fazer, sempre que estiver próxima de mais um final de etapa, é balançar os pratos que até agora estiveram sempre desequilibrados. O que já desisti de querer explicar, até porque não o sei fazer, é porque razão teremos por aqui, neste pedaço de mundo que pertence a todos, quem não sirva para coisa alguma. O que quero e isso j…

Já agradeci como sempre faço...

Obrigada a ti, a mim, a vocês, ao mundo por girar da forma certa, aos amores, aos sonhos, à vida e aos sorrisos. Eu poderia continuar, indefinidamente a agradecer o que merece ser olhado como uma benesse, um privilégio, sorte ou fortuna. Agradecer tem preceito, não chega apenas um obrigado, um sorriso, ou um abraço. Agradecer tem que nos carregar em cada sílaba e som. Agradecer engrandece os outros, dá-lhes a importância que o nosso obrigado mereceu e prova-lhes que fazem as coisas da forma certa e que deverão continuar. Agradecer lembra-nos do quanto precisamos uns dos outros e de como somos pequenos se não tivermos com que nos partilhar. Agradecer regressa para nós, em forma de um obrigado ainda maior e enche-nos de um prazer que poucas palavras conseguem.

Eu agradeço, quando te reconheço. Eu agradeço quando te amo, quando tenho a certeza, quando te provo que és tu e de cada vez que apenas agradeço com a alma.

O meuobrigada de hoje tem pouco de diferente dos mil obrigados que consigo …

Eu sei o que tens pedido ao Pai Natal!

Eu sei o que tens pedido aoPai Natal, mas ele não te deu, porque será?


Quem é que te conhece, o bastante, para te poder inundar das pessoas certas? Quem sabe afinal do que precisas? Quem vê, para além do futuro, se elas poderão ou não ficar?

Não reclames do que não te deu o Pai Natal, porque ele sabia o que estava a fazer. Nem todos os presentes que chegam bem embrulhados, trazem dentro o melhor e o esperado. Não olhes para o exterior, não te iludas com o que pensas saber dos outros, e não te desiludas de cada vez que se revelarem, porque cada um tem o que lhe cabe e nem tu o poderás mudar.

Pediste ao Pai Natal um amor que ficasse, alguém que soubesse do que és feita antes mesmo de te tocar. Pediste um coração gigante, puro e capaz de amaciar o teu. Pediste o que sabias que nem o pobre do Pai Natal te iria poder dar. Porquê? Porque como tu não há, porque a tua versão masculina não existe, porque a metade de alguém é apenas isso e nunca se poderá juntar à tua inteira.

Espero que saibas …

Definição de predador!

Um dos prazeres que acabo por sentir deste meu percurso literário, é a interacção com quem me segue, porque é dessas pessoas que me chega muita matéria, acabando por ser um dar e receber, como se espera de tudo na vida. Sou confrontada com imensos casos reais, dores que têm nome e lugares que existem mesmo, mas por vezes também surgem as perguntas, achando quem me lê, que eu a que escreve, terei talvez acesso a algo mais, quiçá divino, lamentavelmente não é verdade. No entanto e porque faço muitos quilómetros de estrada real, posso sempre deixar a minha visão das coisas e se ajudar de alguma forma, uma ou outra alma mais cansada, a minha repousará mais um pouco!

Agora vamos lá ao que importa. Ora então os predadores. Atenção, eles não são feios, porcos e maus. Já não cheiram a cavalo e a acontecer, será sinal de algum status, ou dinheiro, digo eu que não o conto. Os predadores são de todas as formas e formatos. Têm empregos respeitáveis, ou que já o foram em tempos. Não andam mal ves…

Venham daí essas emoções!

Venham daí essas emoções. Venha daí, forte, mesmo que seja a dor, mas que nunca pare de sentir e de ser nesta intensidade, querendo TUDO aquilo a que tenho direito, porque a minha chama só se manterá acesa se eu souber do que sou feita. Esta minha forma de estar na vida, que foi a que procurei, fez-me perceber que nunca poderei viver com menos do que TUDO que preciso. A minha vontade de continuar sempre em frente, mesmo que mudando algumas rotas e redescobrindo caminhos novos, deixa-me reconhecer as minhas emoções, lidando com cada uma no processo.

Há algo sem o qual, NUNCA,  serei capaz de viver, e isso é mesmo o amor, com tudo o que ele oferece. Eu quero o que me recorda de mim, do que tenho para dar e do que consigo receber. Queromanter-me a acreditar, esperando conseguir, ainda nesta vida, o que apenas esta vida me permitirá recordar.

Venham daí essas emoções, até as que por vezes julgo não saber processar. Venham em montes, empilhadas, em torrentes, mas venham, porque tudo, mas me…

Para lá do início...

De cada vez que começamos uma nova viagem, sentimos o desejo de cada um dos percursos, querendo talvez demasiado do que podemos controlar, mas também procuramos as certezas que nos falharam antes. De cada vez que alguém se aproxima e nos toca, reaviva sensações e coloca o contador dos sonhos no zero. De cada vez que entendemos que não nos enganámos, seguimos em frente e esperamos pelo que tiver que acontecer.

A nossa viagem foi atribulada o bastante para contar todas as histórias sobre nós mesmos. Vimos o bonito e o feio. Provámos o fel e o mel. Subimos a montanhas de emoções, mas descemos à mesma velocidade. A nossa viagem trouxe-nos até aqui, um ao outro e acreditamos que para ficar. A nossa viagem preservou cada lugar visitado e cada palavra dita ou por dizer, porque ainda vamos usar muitas, tantas quantas nos façam falta em cada paragem.

Agora nunca me afasto demasiado. Agora cuido de ti em cada segundo. Agora sei quem és, mas mesmo que diferente do homem que chegou, é o que pret…

Escolhas são escolhas!

Escolhas são escolhas, até as que não se fazem. Se não te esforças, significa que não te faz falta. Não existe regra mais simples do que esta. Quem quer vai atrás, quem não sabe, ou não se interessa, larga a bola e pára de correr.

Será que, de alguma forma, existirão pessoas que precisem de ser forçadas a tomar decisões? Começo a acreditar que sim, tal como acredito que JAMAIS forçarei quem quer que seja, a ver com mais clareza. Afinal de contas existem profissionais dedicados a problemas graves de visão e eu não sou uma delas. Será que alguns levam mais tempo a acordar, e só consigam perceber o que perderam, MUITO mais tarde? É uma possibilidade, mas a acontecer, mantenho a minha, é porque não sabiam quem tinham, nem o que andavam a fazer.

Há um ditado que diz -  "O que uns não querem, outros estão ansiosos por ter" - É a lei natural do Universo. Nada permanece imutável, e tal como os rios nunca param de correr, também os amores vão e voltam até que encontrem onde ficar.

Esc…

Abre o teu coração e deixa-me entrar!

Segue as minhas dicas e vais ver como consegues chegar até a mim. Ouve com atenção as palavras que não digo e perceberás o que desejo. Abre o teu coração e deixa-me entrar!

Alguém terá que saber liderar as vidas que acrescentamos. Um de nós precisará de ser o mais arrojado, não fugindo do que só virá se o reconhecermos. Eu, ou tu, vamos ter que saber qual o nosso papel, não atropelando o que precisamos de fazer e conseguindo ir mais longe, mais cedo.

Sabes o que tenho reservado para ti? Muito amor misturado em todos os quilómetros que palmilhei, literalmente, para que nunca olhasses para o lado contrário. Estavas onde precisava e passaste à hora certa, no momento em que levantei os olhos, nem sei bem de onde, e te vi. Sabes o que quero que me tragas? Muito amor misturado na pessoa que aprendi a reconhecer e que me ensinou a perseguir os meus sonhos, todos e cada um, percebendo que no final deles estarás tu.

Abre o teu coração e deixa-me entrar. Segue as minhas instruções e nunca deixa…

A minha pessoa perfeita!

Passaste a ser a minha pessoa perfeita assim que entraste no mesmo autocarro. Reconheci-te e fiz-te perceber, um segundo depois, que nunca mais te largaria. Atravessámos juntos tanta vida, vi-te crescer e desabrochar, sorrindo à minha sorte, mas os nossos percursos não se cruzaram e a viagem foi bem mais longa do que esperávamos, eu sobretudo. Eu que sempre gostei de planear, de controlar e de ver acontecer.

Eras a minha pessoa perfeita e quando te reencontrei, percebi que ainda esperavas por mim. Toquei-te num abraço sentido e melancólico, que me trouxe, num flashback tudo o que já vivêramos ambos. Nunca conheci mulher mais forte do que tu. Nunca me senti tão ouvido, entendido e seguro, como quando estavas por perto e juntos planeávamos a vida que nos foi roubada. Menina teimosa, obstinada, mas de uma determinação que te levava sempre a algum lado. Mulher linda, a que vejo agora, de olhar embaciado, cerrando os punhos para não desatar a tocar cada centímetro de um corpo que tão bem …

Já sei que sou para ti!

É o teu cuidado que me sossega. É o teu olhar que me recarrega as certezas. É o teu toque, um depois do outro, que me assegura que sou eu e é a tua boca, de onde saem as palavras e os beijos, que me afirmam a tua proximidade.

Já percebeste que a cura vai passar pela dose de "medicação". Temos que nos tomar, sentir, amar e ver o suficiente para que seja mesmo suficiente, agora muito mais para mim. Um de nós deixou de ter dúvidas. Um de nós já sabe quem é o outro e o que receberá dele, neste caso de mim. Um de nós só terá que saber como puxar a mão, levando-a até ao lugar que pertencerá a ambos.

Gosto da tua preocupação desmedida. Gosto de ser o centro das atenções quando estamos juntos. Gosto de gostar deste novo homem e que bem que "ele" me sabe. Gosto de perceber que afinal o amor pode instalar-se após a tempestade, e que a bonança, somos nós que a criamos. Gosto de saber que me escolheste.

Quando e sempre que eu duvidar, vou querer que me recordes do caminho que…

A "animalidade" em nós!

A selva urbana tem produzido cada vez mais seres desumanizados, incapazes de reterem sentimentos que perdurem e invadindo tudo e todos em benefício próprio. Não sei quais serão as desculpas, se é que existem, para mim são sobretudo faltas, de amor-próprio, de respeito por si e pelos outros e uma essência para lá de cinzenta. Penso que até estarei a ser algo generosa na avaliação, mas uma vez que quero acreditar que ainda existem alguns, uns quantos de nós que serão capazes de salvar os restantes da perdição, não vou escurecer demasiado o cenário.

A "animalidade" em nós arrasta as vontades que parecem colidir com a do outro. Ou estás comigo ou contra mim, não existe meio-termo. O tudo ou nada, passou, há muito, a ser mais nada do que qualquer outra coisa. O EU passou a ter demasiada importância, mais do que tudo o resto e seguramente mais do que todos os outros, também eles a quererem ser alguma coisa visível e palpável.

Até que poderia aplicar aqui uns quantos provérbios elu…